domingo, 6 de janeiro de 2013

Enfim Shakespeare escreve um diário

Postado por Enfim Shakespeare às 2:00 AM

Coloquei a garrafa daquele Líquido desconhecido sobre os lábios, eu sabia que não reagiria bem ao álcool que eu nunca bebo, mas naquele dia nada me impediria de afogar minhas magos em um litro de álcool, sempre ouvi falar que resolve, então resolvi testar a teoria.
O primeiro terço da garrafa, foi fácil, mas nada havia mudado, ainda estava engasgada com todas as minhas magoas e todas as lágrimas contidas. Mas depois de mais alguns goles, eu senti o efeito do álcool estampando um sorriso em meu rosto, e percebi que invés de eliminar minhas tristezas ele estampava mais um sorriso falso no lugar das lágrimas que eu queria que caísse.
Nesse momento ele estava do outro lado da mesa, não estava preocupado, mas ele viu o sorriso de minha embriagues e mesmo assim ele não me impediu de beber mais alguns goles, mas depois eu comecei a falar, coloquei todas as palavras para fora, mas o sorriso não saia de meus lábios. Já estava ficando Frustrada e desesperada pelas lágrimas, quando explodi, meu corpo chacoalhava com a força de minhas emoções e as lágrimas rolaram felizes por enfim estarem livres, eu chorei pelo tempo necessário e continuei falando, magoando a pessoa que me escutava, por fim todo o álcool fez efeito no meu corpo e queria sair, embora tenha magoado ele com minhas palavras, ele foi para meu lado segurou meu cabelo enquanto eu me odiava por ser tão tola.
Mesmo com palavras duras, jogadas na cara dele, muitas verdades contidas, ele permaneceu fiel ao meu lado, mesmo quando eu rejeitei sua ajuda, ele permaneceu lá, ao meu lado. Seu orgulho foi menor, pois o amor prevaleceu e em um ato impensável me joguei nos braços dele, derrubei minhas últimas lágrimas e sorri aliviada por ter ele ao meu lado, por meu sorriso agora ser de alívio e por não mais me sentir presa pela magoa e pelas lágrimas que a muito não caiam.



6 comentários:

Alice Aguiar on 6 de janeiro de 2013 13:58 disse...

adorei o texto

Taty on 7 de janeiro de 2013 01:01 disse...

Legal o texto, mas se eu fosse a pessoa que esta sofrendo eu não ia beber ia era quebrar a garrafa na cabeça do outro rsrsrsrs, bem eu não tenho dificuldade pra falar quando não gosto de algo a resposta é instantâneo então não sofro muito hehe

bjos

Giih on 7 de janeiro de 2013 02:17 disse...

Legal flore! Bjos

Sacoleiros de Luxo on 7 de janeiro de 2013 09:32 disse...

Preciso ler mais, seu blog e um encanto que nos leva a ter cede pela leitura, ótima matéria. bjs
Adriana Lima
http://sacoleirosdeluxo.blogspot.com.br/

منتديات بحبو on 11 de janeiro de 2013 17:11 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Andressa Pereira on 15 de janeiro de 2013 11:31 disse...

As vezes as lágrimas ficam presas em nós e isso dificulta todo o nosso caminhar. É bom aliviar as vezes. Tenho esse problema crítico com bebida, sempre falo demais e me arrependo em seguida, mas por impulso não posso deixar palavras frias caladas dentro de mim.
Texto perfeito.
Identidade Aleatória

Postar um comentário

Obrigada pela visita.

Sempre retribuo os comentários *-*

 

Eu li e Comentei Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos